Cáceres, a cidade monumental

Cáceres, é uma pequena cidade do interior de Espanha, mais propriamente na região da Extremadura, a cerca de 100 Km da fronteira com Portugal, e portanto de fácil acesso para uma escapada de fim-de-semana. Por isso, e aproveitando que esta era uma data especial para nós, pegámos no carro e lá fomos nós.

Após uma pequena pesquisa, perdemos a cabeça e decidimos ficar alojados no NH Collection Palácio de Oquendo, um antigo palácio datado do século XVI, bem perto da cidade velha e ponto de partida para a nossa visita.

Conhecida como a cidade monumental, Cáceres é um dos mais bem preservados conjuntos medievais da Europa e reconhecido como património da Humanidade pela UNESCO desde 1986.

Por detrás das muralhas, primeiro erguidas pelos romanos, fundadores da cidade, e depois fortificadas pelos árabes e ampliadas pelos cristãos, ergue-se a cidade velha cujos casarões e igrejas veem o tempo passar sem perder a imponência de antigamente. Atravessar o Arco de la Estrella, que a separa da cidade nova, é entrar numa fascinante época de reis e rainhas, de mouros e cristãos, de palácios e fortalezas, como num regresso ao passado.

Não é á toa que aqui se realizaram algumas das filmagens da famosa série de televisão “Guerra dos Tronos”, cujo enredo se situa em plena época medieval.

A cidade, toda em pedra, é um verdadeiro museu ao ar livre. Aqui podemos ver as torres de Bujaco e Yerba, principais sentinelas na entrada da cidade, erguidas sobre fundações romanas, assim como o Palácio das Cegonhas e o das Veletas, atual Museu de Cáceres, que guarda no seu subsolo o aljibe, um depósito árabe de água com cerca de mil anos, ainda em perfeito estado de conservação. Para quem gosta de igrejas, este é também o local certo, com 3 belos exemplares: a Concatedral de Santa Maria e as igrejas de São Francisco de Xavier e de San Mateo.

Mas, na nossa opinião, a melhor forma de desfrutar Cáceres é mesmo passear deambulando pelas suas ruas e ruelas, que ficam ainda mais especiais no final de uma tarde de verão, quando o calor diminui e o sol doura os seus edifícios. E um dia é mais que suficiente para o fazer.

Mas Cáceres não é só história, é também tradição e gastronomia.

Logo depois do almoço, a cidade fica paticamente deserta, quando todos se retiram para a tão afamada “siesta” e é ao final da tarde que as ruas ganham nova vida. Na Plaza Mayor e nas ruas que a ladeiam, as esplanadas enchem-se de gente, famílias inteiras e grupos de amigos, que se juntam para tapear e beber algo.

E para conhecer o verdadeiro sabor da Extremadura, nada como melhor que nos juntarmos aos locais e degustar um bom “jámon de bellota”, que é como quem diz, um belo presunto pata negra, ex-libris da região. Foi o que fizemos, e para isso, escolhemos o “La Tapería”, na Calle Gran Via, que acabou por se revelar uma excelente escolha. E por aqui terminamos a noite, entre “cañas” e tapas e uma dose de boa disposição…

Nota: Viagem realizada em Julho de 2017

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s